Qual é a profundidade de uma sepultura?

Qual é a profundidade de uma sepultura?

A sepultura é a ação de sepultar ou enterrar os mortos. O sepultamento pode ser considerado o ato de se despedir de alguém que faleceu e isso ocorre, no geral, por meio de um enterro.

A cova é um sinônimo de sepultura e a palavra significa “local onde são enterrados os falecidos ou cadáveres”. Outra palavra que é sinônimo de sepultura é jazigo, que é a edificação colocada sobre a cova.

Quando a peste bubônica matou milhares de pessoas na Inglaterra, foi criada a regra de que as vítimas seriam enterradas a 6 pés de profundidade ou a sete palmos, algo em torno de 1,80 m. Mas, a profundidade de uma sepultura mudou no decorrer da história da humanidade.

No Brasil, a profundidade de uma sepultura para um adulto é de 1,70 m. Uma cova possui normalmente, 2,20 m de comprimento e 0,80 m de largura. Para as crianças, as sepulturas têm cerca de 1,50 de profundidade e 50 centímetros de largura.

Antigas sepulturas

As sepulturas antigas do Egito eram chamadas de “casa da eternidade”. Existem muitas sepulturas ao longo do Rio Nilo, datadas das mais variadas épocas e períodos.

Os locais onde os mortos do Antigo Egito eram enterrados passaram por muitas mudanças com o passar dos tempos. As primeiras sepulturas eram simples e modestas.

Mas, com a evolução, os egípcios  começaram a construí-las com tijolos e revestidos externos. Com o desenvolvimento arquitetônico, surgiram as pirâmides, nas quais muitos mortos foram sepultados e embalsamados.

Tipos de sepulturas

Com o passar do tempo, a população mundial cresceu de forma exagerada, com isso, aumentaram também o número de mortos. Dentro desse contexto, surgiram inúmeras formas de sepultamento.

A preocupação com o meio ambiente também gerou outras formas de sepultamento. Por causa do número exagerado de mortos e o impacto que isso causa a natureza, tem surgido cada vez mais outras formas de se sepultar as pessoas.

Existem três tipos de cemitérios que são mais usados no Brasil, sendo eles: Cemitério Horizontal, Cemitério Vertical e o Cemitério Ecológico. Embora todos tenham o mesmo propósito, eles possuem significados e características muito diferentes.

O Cemitério Horizontal

É o tipo mais comum e mais utilizado. Neste modelo, o sepultamento é subterrâneo, mas também pode ser feito em jazigos e túmulos expostos.

Geralmente, estes tipos de sepultamentos utilizam jazigos ou túmulos de mármore com detalhes em gesso e são ornamentados com flores e fotos dos falecidos.

O cemitério horizontal, mesmo sendo o mais comum, traz significados muitos bonitos, além de servirem muitas vezes como ambientes turísticos e históricos, principalmente aqueles mais antigos.

O Cemitério Vertical

É considerado um modelo inovador, pois, os mortos não são enterrados numa sepultura tradicional. Sendo assim, o cemitério vertical funciona como um prédio e os caixões são colocados um em cima do outro. Com isso, os cemitérios verticais possuem inúmeros tipos de caixões padronizados em tamanho e altura para otimizar ainda mais espaço.

A ideia do cemitério vertical surgiu justamente pela situação de superlotação em cemitérios convencionais. Este modelo trouxe a possibilidade de todos terem o espaço devido para seu descanso, possibilitando que as pessoas fossem sepultadas como iguais.

O Cemitério Ecológico

É o menos comum entre os três citados. Esse modelo tem como principal foco a preservação da natureza. A profundidade da sepultura neste modelo é apenas uma forma de expressão. Isso porque, no cemitério ecológico, a pessoa falecida é cremada e as cinzas são depositadas em urnas biodegradáveis.

As cinzas com urnas irão ajudar na plantação e no crescimento de uma árvore, portanto, a proposta do cemitério ecológico é a de continuação da vida através da natureza. Esse tipo de sepultamento carrega consigo uma mensagem muito bonita, bem como, a criação de um cemitério diferenciado, num espaço de natureza, harmonioso e que poder ser visitado e apreciado por todos.

Os velórios nas religiões 

O Catolicismo é a religião mais praticada do Brasil. Os sepultamentos dessa religião costumam ser bem ritualístico, com rezas e cânticos antes do sepultamento, chamados de missa de corpo presente.

No Judaísmo, quando alguém morre, as famílias costumam providenciar o enterro bem rápido, pois de acordo com suas leis, o corpo deve ser sepultado logo que for possível. O enterro deve ser de preferência no mesmo dia da morte e antes do por do sol, se for possível. Eles acreditam que a alma só entrará em repouso quando o corpo for enterrado.

Já para Espiritismo, a morte não existe, o corpo físico é usado apenas como um instrumento para o aprimoramento do ser. De acordo com a doutrina espírita, depois que se morre, a alma é reencarnada para outra jornada de vida. Portanto, o sepultamento de um espírita pode variar em seus ritos, mas geralmente eles são enterrados, assim como os católicos. Alguns são cremados, pois, para eles, o corpo é apenas a matéria o que importa é o espírito.

 

 

×