O Que é Necropsia? Saiba Mais!

O Que é Necropsia? Saiba Mais!

As histórias da Medicina e da anatomia humana estão, intimamente, ligadas à história da necropsia. Isso porque a necropsia possibilitou um maior conhecimento do funcionamento do corpo humano e de como as doenças nos afetam, por exemplo. E sua história, mesmo nos dias de hoje, continua sendo escrita.

Mas o que é necropsia e como ela é realizada? Ela é feita em todos os casos de morte? Para esclarecer essas e outras dúvidas, elaboramos esse guia. Fique com a gente para saber mais sobre essa importante área da Medicina!

O Que É Necropsia?

É comum a confusão entre os termos autópsia e necropsia. Apesar das origens diferentes, atualmente, as duas palavras são tidas como sinônimos. De qualquer maneira, necropsia é o procedimento médico com o objetivo de se descobrir a causa mortis.

Muitas doenças foram descobertas por meio da necropsia, possibilitando muitos avanços na Medicina. Isso porque o objetivo da necropsia preza por minúcia e qualidade ao se examinar cada órgão e tecido do cadáver.

Atualmente, existem muitos exames de imagem de alta qualidade e testes clínicos com elevada precisão. Entretanto, não existe substituto para a necropsia, quando se fala de determinar com exatidão a causa da morte do paciente.

Quando É Realizada a Necropsia?

Depois de explicar o que é necropsia, vamos falar uma pouco sobre o seu propósito e quando ela é feita. Sendo assim, podemos dizer que o objetivo da necropsia também se aplica a questão sanitária, clínica e até mesmo forense.

O que chamamos de morte natural é o resultado de um processo previsível. Um exemplo é o envelhecimento natural, com o desgaste previsto dos órgãos. Em outros casos, a morte é o resultado de uma doença, aguda ou crônica, sem intervenção de fator externo. Nesses casos, a necropsia determina a causa médica da morte, bem como, o que a gerou.

Dessa forma, a necropsia serve para se determinar a eficiência dos diagnósticos, em vida. Além de, a longo prazo, evitar práticas como fraude ou erro médico.

Por isso, os técnicos de necropsia precisam se atentar para qualquer sinal de violência, mesmo quando encaram casos de morte natural. Esse tipo de evidência pode alterar todo o processo médico e ter consequências legais.

Isso pode ser comprovado em diversos estudos. Tanto nacionais, quanto estrangeiros. A discrepância entre o diagnóstico na clínica ou no hospital e o feito na necropsia tende a ficar entre 23%, entre jovens e adultos. Por isso, ainda hoje, entender o que é necropsia e seus procedimentos é de grande importância.

 

Quais São Os Procedimentos Realizados?

Parte de saber o que é necropsia, inclui saber quais são os procedimentos realizados. No Brasil, quem morre sem assistência médica ou de causas naturais desconhecidas, é encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbitos. Já, quando se existe suspeita ou confirmação de violência, os corpos são encaminhados ao Instituto Médico Legal.

O primeiro passo, então é a diferenciação entre uma morte natural e uma não-natural. Esse conhecimento deve ser comum a todos os médicos. Isso garante, não só o conhecimento das reais causas e circunstâncias da morte, mas, também, assegura que o processo de luto da família será o menos traumático possível.

Por isso, ao se deparar com uma situação em que envolva a mínima suspeita o corpo deverá ser encaminhado ao Instituto Médico-Legal. O médico deve ter consciência de que, ao não reportar essa suspeita às autoridades competentes, pode ter implicações jurídicas importantes.

Dessa maneira, a necropsia forense foca em descobrir a causa, hora e circunstâncias da morte não-natural, sendo complementada com os dados do local de achamento do cadáver.

Assim, os estudos, tanto macroscópicos, quanto microscópicos dos tecidos (aparência, coloração, temperatura, presença de substâncias etc.) vão seguir o andamento do processo de investigação policial.

Mesmo que a causa da morte seja clara, por lei, a necropsia forense deve ser realizada. Então, cabe ao legista determinar, além da causa e horário, a identificação médico-legal da morte e quaisquer outras constatações que julgar necessárias.

Além das mortes violentas (afogamento, incêndio, acidente de trabalho ou trânsito, intoxicação, eletrocussão, homicídio, suicídio, dentre outras), são encaminhados os corpos de desconhecido ao IML. Nesses casos, em conjunto com investigadores, os profissionais de saúde buscarão identificar e encaminhar o corpo.

Por isso, conhecer sobre os procedimentos de necropsia demanda não somente conhecimentos extensos em patologia e anatomia, mas, também, um senso de responsabilidade. Principalmente porque a necropsia engloba diversas esferas, como a criminal e a jurídica, que necessitam desse diagnóstico preciso do profissional de saúde.

×