Dia de Finados: Que É e Qual o Significado?

Dia de Finados:  Que É e Qual o Significado?

Em várias partes do mundo, o Dia de Finados ou, simplesmente, Finados, é um feriado religioso cristão dedicado a homenagear e orar aos que já morreram. Conhecido também como Dia dos Mortos em alguns países, esse é um dia santificado, especialmente na tradição católica. Apesar de presente em outras denominações.

Mesmo fora do aspecto religioso, essa data é usada pela maioria das pessoas para lembrar dos que já faleceram e eram muito queridos.

Hoje, conheceremos um pouco mais sobre essa tão importante data para bilhões de pessoas.

Qual É a Origem do Dia de Finados?

Vamos começar com o significado da palavra. Finados, geralmente, é usada para referir-se a alguém que já morreu. Entretanto, seu uso é muito mais amplo, podendo ser utilizada para se referir a qualquer coisa que tenha acabado. Uma coisa que findou ou, de maneira mais simples, finou.

De acordo com registros históricos, a tradição da celebração do Dia de Finados foi instituída pela Igreja Católica, na Idade Média, no século X.

A justificativa é a de que os vivos deveriam interceder pelas almas dos mortos que se encontram no Purgatório. Segundo as tradições mais antigas, esse seria um lugar de purificação onde as almas ficariam até 7 séculos (um para cada pecado capital), para se purificarem e entrarem no Paraíso.

Histórias mais antigas contam de intercessões capazes de resgatar almas do próprio Inferno. Esse foi o caso do imperador romano Trajano, que esperou 500 anos no Inferno antes de ser resgato pelas orações do papa Gregório I.

Para guiar as almas dos mortos existem as velas. Elas representam a luz e, em último caso Deus, que conduz as almas até o Paraíso.

Apesar de instituído no século X, o costume é bem mais antigo do que se imagina. Mais antigo que a oficialização da Igreja Católica, quando o cristianismo era apenas uma seita judaica.

No século II, já existiam registros de cristãos que visitavam os túmulos dos mártires. Ali, os fiéis pediam pelos seus entes queridos e pela intercessão dos primeiros santos do cristianismo.

No século V, já com a Igreja constituída, já existia o costume de se dedicar um dia do ano para orar por todos os mortos. Aqui, existia um cuidado especial pelos mortos que não possuíam famílias. Nesse caso, era dever de todos os fiéis lembrarem-se deles e intercederem por suas almas.

Por Que Dia 2 de Novembro?

Apesar de ser costume orar pelos mortos há mais de um milênio, essa celebração continuou sem uma data definida.

Isso mudou no século 13, um período em que a Igreja Católica se dedicava a tentar definir como seria o pós-vida, com suas divisões entre Inferno, Purgatório e Paraíso. Pouco tempo depois, no século XIV, o livro a Divina Comédia foi escrito, então, começaram a se criar diversas definições e diversos simbolismos cristãos.

A partir daí, a data do dia 2 de novembro foi escolhida para o Dia de Finados para suceder o Dia de Todos os Santos. Ainda hoje, em celebrações católicas, as orações a todos os santos são seguidas pelas orações para todos os mortos.

Como É O Dia de Finados no Brasil?

Aqui no Brasil, por exemplo, o Dia de Finados é fortemente ligado à tradição católica. Isso se deve ao fato de que, por mais de 300 anos, essa ser a única religião permitida no país. E, até pouco mais de 30 anos atrás, essa ser a religião oficial do Brasil.

Por aqui, o costume é visitar os túmulos dos nossos parentes falecidos e enfeitá-los com flores. As flores servem para trazer um pouco de cor ao lugar.

Isso, pois, comparado a outros lugares do mundo, os cemitérios brasileiros são muito mais cinzentos. Isso se deve às inúmeras crises sanitárias pelas quais passamos. Elas obrigaram as autoridades a instalar diversas lajes de cimento sobre as sepulturas, reduzindo a área verde a quase nada.

Outra presença constante são as velas, que são postas sobre as sepulturas. Velas também são presentes nas igrejas e nas casas das pessoas. Em algumas tradições mais antigas, essas velas podem ser acesas ainda no dia anterior, no Dia de Todos os Santos.

Como É o Dia de Finados Pelo Mundo?

Na tradição católica pelo mundo, as celebrações do Dia de Finados são, de forma geral, bastante parecidas entre si. Esse é um dia dedicado a orações, idas ao cemitério e a presença constante de flores e velas em altares. Sejam eles públicos ou domésticos.

Uma exceção interessante é o caso mexicano. No México, o Día De Los Muertos, é uma verdadeira celebração, muito mais colorida que em qualquer outro lugar do mundo. Como a população católica desse país é a terceira maior do mundo (atrás, somente de Brasil e EUA), a festa toma o país inteiro.

O mais comum é que as celebrações se estendam por três dias. A provável origem é de uma antiga lei da Toscana, da época da instituição do dia 2 de novembro.

Lá, caso uma pessoa fosse assassinada, o criminoso poderia ser perdoado. Para isso, precisaria tomar uma sopa de pão e vinho sobre o túmulo do morto, até três dias depois do crime. Por isso, a família vigiava o corpo por 3 dias. A lei já não existe mais. Mas os velórios, na Itália, ainda duram 3 dias.

Voltando ao México, o costume local, é celebrar a vida. Para isso, os locais zombam da morte, organizando desfiles e enfeitando toda a cidade.

A crença local é de que as almas dos mortos voltam para visitar seus parentes no Dia de Finados. Por isso, é costume terem altares nas casas. Esses são enfeitados com retratos dos falecidos, pequenas oferendas e caveiras coloridas de papel machês, as cavaleras.

Outra razão para as festas são para que os espíritos dos mortos vejam que seus parentes estão felizes e sigam, tranquilos, para o Paraíso. Também, o barulho serviria para que espíritos malignos se assustassem e não atrapalhassem as jornadas dos mortos ou dos vivos.

Como Funciona em Outras Religiões?

Além do Dia de Finados, as celebrações envolvendo os mortos não são exclusividades de uma religião. Na verdade, ritos fúnebres remontam desde o Homo habilis, onde pessoas eram enterradas com crânios de animais sobre o peito. Esses animais poderiam representar proteção no pós-vida, visto que eram bestas poderosas, como veados ou bisões.

Continuando no Cristianismo, a data não é comemorada em denominações protestantes. Por não existir a crença em um Purgatório, não existe uma data para orar por todos os mortos.

Algumas tradições cristãs creem em absolvição ou condenação imediatas, conduzindo as almas para o Paraíso ou Inferno. Outras creem que os mortos ficam em um sono eterno, até o Dia do Julgamento. Ambas as tradições se apoiam em passagens distintas da Bíblia cristã.

Em tradições celtas, os povos da, atual, Inglaterra, reuniam-se em suas casas, no dia 1 de novembro para homenagear e evocar a presença dos que já morreram. Essas tradições ainda continuam em muitas culturas neopagãs, ao redor do mundo.

Em países de religião budista, como Índia ou Tailândia, as pessoas falecidas também recebem homenagens em forma de procissão. Elas são acompanhadas por músicas e desfiles de máscaras.

No Japão, guiado por tradições xintoístas, o mais comum é alimentar as almas dos mortos, com oferendas de arroz, algas ou doces. As vestimentas para as celebrações, também, costumam ser especiais.

O desejo humano de celebrar a memória dos mortos é, praticamente universal, sendo presente em muitas religiões. É a maneira encontrada para, de alguma forma, manter nossos entes queridos, ainda vivos.

×