Cemitério vertical: conheça suas vantagens

Cemitério vertical: conheça suas vantagens

O momento de despedida de um ente querido sempre exige algumas tomadas de decisões. O local do enterro é uma das principais escolhas a serem feitas pelos familiares de um indivíduo, na hora de sua partida. Para isso, conhecer os principais tipos de cemitérios existentes é essencial. Já abordamos no artigo “Tipos de cemitérios” as três formas de necrópoles mais conhecidas mundialmente. Os cemitérios horizontais são, sem dúvidas, os mais tradicionais e com maior utilização. Os cemitérios do tipo jardins ou parques são mais reservados e em menores quantidades, porém com grande apreço. E há, por fim, os cemitérios verticais, muito utilizados, porém em menor escala que os horizontais, que oferecem muitas vantagens, as quais merecem ser destacadas aqui. O que é o cemitério vertical? Diferente dos cemitérios horizontais, os cemitérios verticais consistem em edifícios construídos com o fim específico de abrigar cadáveres, lado a lado, um acima do outro. O abrigo dos corpos é feito a partir de compartimentos individuais existentes nesses edifícios, denominados popularmente de “gavetas” ou tecnicamente de “lóculos”. Essas gavetas possuem um tampo, geralmente confeccionado em pedras, com a exposição dos dados do indivíduo falecido, como nome, data de nascimento e falecimento. Essa forma de armazenar cadáveres é bastante organizada e limpa, apresentando inúmeros benefícios para as pessoas envolvidas na escolha de um tipo de cemitério. Ocupação reduzida do solo   Sem dúvidas, a principal vantagem do cemitério vertical é o melhor aproveitamento do espaço de terra para abrigar cadáveres. Como os corpos são armazenados em edifícios, verticalmente, e não de forma horizontal como nos demais tipos de cemitério, acaba por utilizar menos espaço no...
Como Funciona a Decomposição do Corpo Humano?

Como Funciona a Decomposição do Corpo Humano?

Quando falecemos, nosso corpo passa por uma intensa mudança. Os trilhões de seres microscópicos, larvas e, até mesmo, as substâncias que produzíamos normalmente, passam a nos consumir. Tanto de fora para dentro, quanto de dentro para fora. O fim da vida humana é o início de um novo ciclo para uma infinidade de outros seres. De fato, o desequilíbrio causado por uma mudança tão abrupta quanto a morte, desencadeia dezenas de outros processos. Que ocorrem cada um em seu tempo e a sua maneira. Para exemplificar, vamos listar aqui, as mais importantes fases da decomposição do corpo humano. Como Começa a Decomposição do Corpo Humano? A decomposição do corpo humano ocorre, basicamente, de duas maneiras. Primeiramente, nosso próprio corpo começa a se consumir. Isso acontece porque um processo fundamental para a vida deixa de acontecer. A oxigenação. Quando ela para de ocorrer, um intenso desequilíbrio tem início. Isso porque o oxigênio é fundamental para o processamento de potássio, sódio e outros minerais importantes para o organismo. Sendo assim, sem esses processos, nossas células tentam extrair os minerais da fonte mais próxima, ou seja, consumindo outras células do nosso corpo. A outra maneira como ocorre a nossa decomposição ocorre pela ação de outros organismos. E não são seres tão grandes ou que estejam tão distantes de nós. São as nossas velhas conhecidas bactérias. E elas são muitas. Cerca de 90% das células que estão em nossos corpos são formadas por esses microrganismos. As primeiras a se voltarem contra nós são aquelas de nossa flora intestinal e da nossa mucosa respiratória. Para preservarem suas próprias existências, elas adentram nos tecidos adjacentes...
Tipos de cemitério: conheça cada um deles

Tipos de cemitério: conheça cada um deles

Os cemitérios existentes vão muito além dos tradicionais cemitérios horizontais. Além destes, onde os túmulos são dispostos lado a lado em uma área de terra específica, existem ainda os cemitérios verticais e os jardins ou parques. O enterro é o destino mais tradicional para os indivíduos que partem, e, de uma forma especial, é onde o ente que partiu terá sua memória representada, sendo um ponto de reencontro entre familiares e amigos próximos. Nem sempre o enterro é a opção escolhida para destinar um indivíduo falecido; também é possível o ser humano optar, ainda em vida, pela cremação, como aborda o artigo “Processo de cremação”. Porém, ainda é a forma mais comum de abrigar um indivíduo que partiu, e, portanto, abordaremos abaixo os tipos de cemitério que podemos encontrar. Cemitério horizontal O cemitério horizontal é a forma mais comum e mais antiga, dentre os tipos de cemitério existentes. Nele, os cadáveres, geralmente acolhido em caixões, são dispostos em covas – escavações profundas na terra – e cobertos por estruturas de pedras, que dão o acabamento externo à área onde o defunto está enterrado. Esses acabamentos em pedras – os túmulos – são bastante curiosos em cemitérios mais antigos, onde grandes construções, estátuas e mausoléus compõem sua estrutura. Um local de reencontro   O cemitério horizontal é, geralmente, o mais procurado por representar um espaço onde familiares e amigos podem estar, de tempos em tempos, de volta à companhia do ente falecido. Nele, é possível ficar em torno do túmulo da pessoa que partiu, fazer a manutenção dele – o que representa uma atitude de carinho e cuidado com a pessoa...
Quanto Custa um Enterro em Média? Principais Gastos

Quanto Custa um Enterro em Média? Principais Gastos

Um setor da economia brasileira que não sofre com crises econômicas é o chamado “mercado da morte”. Isso porque, todos os dias, muitas pessoas morrem pelos mais diversos motivos. A única certeza que temos na vida é a morte, sendo assim, pensar nela é algo inevitável. Apesar de ser angustiante, é necessário se preparar para o momento de despedida, inclusive, é muita gente faz um planejamento financeiro para esse momento. Nesse contexto, muita gente se pergunta quanto custa um enterro em média, então, para ajudá-los, preparamos essa matéria sobre o assunto. Confira a seguir! O Mercado funerário Quando se fala em organização financeira, existe algo que não muda. Existindo crise financeira ou não, as pessoas continuam morrendo e o mercado funerário se torna imune a certos impactos econômicos. O mercado do setor funerário é responsável pelo em emprego direto de, pelo menos, 50 mil pessoas no Brasil e, de acordo com o Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (SINCEP), são movimentados cerca de R$7 bilhões ao ano. Então, vamos lá: quanto custa um enterro no Brasil? De acordo com a Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário (ABREDIF), o custo médio de um enterro no Brasil é de R$2.500,00. Sem falar que depois que a pessoa é enterrada ainda existe o custo de manutenção do túmulo que precisa ser pago. Na capital de São Paulo, por exemplo, o custo de manutenção deve ser pago durante três anos após o enterro. O valor mensal a ser pago pela manutenção varia entre R$85,00 e pode ultrapassar R$500,00, dependendo da localidade. Pessoas que optam por cemitérios particulares também...
Tanatopraxia: entenda este procedimento

Tanatopraxia: entenda este procedimento

É natural que, após o falecimento de um ser humano, seu corpo passe ao estado de decomposição em um rápido período de tempo. O corpo humano é constituído de matéria orgânica e as partes que o compõe começam a se deteriorar logo após seus órgãos interrompem o funcionamento. Sendo assim, provavelmente, você já deve ter se questionado como que os cadáveres se conservam por um determinado tempo. A tanatopraxia consiste em um procedimento que permite a higienização e a conservação de corpos, de forma a remeter à imagem do cadáver a aparência mais similar possível àquela que ele possuía quando ainda em vida. Nesse artigo, vamos explicar a você o que é a tanatopraxia, como funciona, quanto custa e onde ela é feita. O que é a tanatopraxia e como funciona? Quando um ente querido falece, é comum que seus familiares e amigos próximos queiram dar um último adeus. A tanatopraxia é a técnica responsável por deixar o cadáver conservado e com a melhor aparência possível para essa despedida. Isso porque desinfecta o corpo sem vida e retarda o processo biológico de decomposição. Além de reduzir as transformações ocorridas no corpo sem vida, a tanatopraxia ainda ocasiona conforto à família enlutada, possibilitando-a velar seu familiar com as características que ele possuía em vida. E essa recordação, sem dúvidas, é fundamental para contribuir com o bem estar da família em um momento de tristeza e dor. Basicamente, a técnica da tanatopraxia consiste em injetar líquidos (produtos químicos) no corpo do falecido, resultando em uma agradável aparência no momento do velório. Após o procedimento, o cadáver fica com um semblante corado...
Exumação de Cadáver – Conheça detalhes dessa prática

Exumação de Cadáver – Conheça detalhes dessa prática

Um dos assuntos que mais geram dúvidas e curiosidades sobre a morte é a exumação. Conhecer os principais pontos dessa prática, é essencial para tomas as melhores decisões nesse momento delicado e importante para a família.  O que é Exumação?  A exumação é o ato de desenterrar, exumar os despojos mortais (ossos) da sepultura e levá-los em uma urna menor ou cremá-los por algum motivo em especial.  Um dos primeiros pontos que deve ser observado antes dos familiares decidirem solicitar a exumação do falecido é verificar se no o cemitério público ou particular do Município tem área para alocar os ossos exumados do ente querido.  Quando ela pode ser solicitada?  A exumação de cadáver é uma prática muito comum no Brasil e tem com o objetivo desocupar o espaço nos jazigos para novos sepultamentos que venham ser realizados ou por motivos administrativos do cemitério.  Em outros casos, a exumação ocorre quando a família solicita formalmente, seja porque está se mudando para outra cidade e quer ficar próximo do ente querido ou porque deseja transferir a ossada de um cemitério para outro.  A família também poderá solicitar a cremação dos restos mortais do falecido, e para isso, a realização da exumação do cadáver.  Outra situação que justifica a exumação é a solicitação por determinação judicial para perícia do cadáver quando há suspeita em relação a causa da morte ou para realizar pesquisas científicas.  Como é feita a exumação? Segundo a legislação brasileira, a exumação somente poderá ser realizada depois de três anos em média após o sepultamento, à exceção de situações especiais, onde a retirada pode ocorrer antes do tempo. ...
×